Paul in Sampa: O Maior Show de Coverdose do Mundo

Rock ‘n’ Roll mesmo que sexagenário preconiza aperto e perrengue. Sir Paul McCartney 4 anos acima de 64 fez seu show e este escriba teve que deslocar-se de sua provinciana Niterói para a cosmopolita São Paulo. Ingressos adquiridos (obrigado, Marianna) a opção do translado deu-se através do Maradona, um clássico para dos postes e muros de Icaraí nos anos 80 e 90.

A ideia era ir em um pé só, ver o show e voltar na mesma perna. E assim a trupe deveria estar descansada 6 da matina de domingo encaroçando no ônibus rumo àquela terra cheia de curinthiano. Naturalmente que a madrugada foi com olhão aberto na ansiedade.

– Foda-se. Durmo no ônibus

Aroz e Zovos

Pouco necessário dizer que dormir no ônibus foi impossível. Ana Paula, Serginho, Carol², Karla, Marianna e Beth não se aguentavam de ansiedade e tagarelando o tempo todo obrigou-me a mais uma pá de horas acordado (para não parecer implicância minha, Bender se queixou da mesma coisa).

Chegamos em Sampa e os Primes de nossa trupe apressaram-se a ir a uma típica praia paulistana para devorar qualquer sanduba e ir para a fila (Sampa é o oposto do oposto mesmo. Os Primes tem de ficar na fila, a ralé pode chegar em cima da hora). A ralé se espalhou e de repente se viu em um Shopping sem muito o que fazer, faltando boas horas para o show e um sono da porra quando Serginho do alto de toda sua experiência pela longa vida teve A idéia. Comprar ingresso para o pior filme possível e roncar.

Aí o show começou.

A Maior Escada do Cancun do Mundo

Separados, a trupe dividiu-se por diversos setores: Primes, Geraldinos e Arquibaldos. E a mim coube a primazia de ver tudo do alto de forma geral e irrestrita.

Nas arquibancadas, é necessário que se faça valer as consequências de escolha. Ao entrar, o efeito manada te leva para o meio da mesma, local onde todo o palco é visualizado, além do telão, embora com estruturas metálicas à frente. No entanto, a estrela máxima da noite ficaria pequenininha. Desbravando os espaços, a opção era aproximar-se do palco e perder ângulo do fundo do palco e visualização do telão. Esta segunda opção foi a que me agradou e posicionei-me para acompanhar Paul McCartney da mesma forma que sofro ao mirar em Washington no Maracanã perdendo gols com a camisa do Flu.

O show, transmitido ao-ressucitado pela TV já está mais que batido para qualquer um que se aventure em ler este relato. Por isso preocupa-me em passar o que foi ser um feliz arquibaldo na mão do palhaço nesta noite sensacional como se estivesse no show de Coverdose mais foda de toda a História.

Quem já ocupou as Escadas do Cancun sabe o que pode fazer a combinação: fácil acesso à cerveja + degraus livres + excelente rock ‘n’ roll. Honrando as tradições coverdosinianas, eu e Ana Paula transformamos a arquibancada azul na Maior Escada do Cancun do Mundo, percebendo o show do Paul McCartney como ele merece: participando insandecidamente e consequentemente contagiando os vizinhos que por sua vez em um processo iterativo recontagiavam-se em uma orgia rocknrolliana.

Daí, para juntar uma coisa com outra foi um pulo. Qualquer sentimento de emoção descrito aqui serve para descrever algum momento do show. O choro podia vir desde uma tocante Hey Jude (DESAFIO que se ouça no show impassível) ou na frenética Live and Let Die. Cada um com seu cada um. Do alto, era perceptível que estivesse onde estivesse, qualquer um naquele Estádio estava em deleite e torpor em um senhor show de rock ‘n’ roll com 3 horas sem sair de dentro. Tanto que quem deixou para comprar lembranças oficiais no final do show saiu de mãos abanando (meu caso)

Mas nem tudo foram flores. Como ser pragmático e calcado em critérios bem definidos, senti meu Mundo desabar ao ter de abdicar de minhas convicções de uma vida ao perceber que Rolling Stones e Queen são poeira cósmica do Rock.

And in the end, the rock you take is equal to the rock you make.

*Por estar inebriado com o show, não me preocupei em tirar fotos, e por isso agradeço a Drª Karla pela foto dos zovos e ao Dr. Tomyo Nishida pelas fotos de Sir Paul McCartney aqui postadas.