Gaburah Best of 2011

A versão 2011, via blog, tem como madrinha da ideia a @marifiorentino.

And the Tiny Little Golden Gaburah Cookie goes to...

Então lá vai o resultado do Gaburah Best of 2011. Rufem os tambores!!

  • Filme do ano: Essa foi difícil, confesso. A média foi baixa. Em se falando de cinema, no entanto, o grande destaque foi o documentário Back and Forth do Foo Fighters (aliás, 2011 foi o grande ano da banda de Dave Grohl). Quem não teve o prazer de assistir no cinema, tenta ver em vídeo. Muito foda. Mas se eu for obrigado a escolher um filme convencional, provavelmente direi X-Men: First Class – que, mesmo assim, teve os seus poréns.
  • Fiasco do ano no cinema: Deu empate. O Besouro Verde de Seth Rogen e Conan, o Bárbaro (Momoa é o único inocente naquilo ali).
  • Categoria ‘Preciso arranjar outro empresário com urgência‘ do ano: Christoph Waltz (pelo conjunto da obra – O Besouro Verde e Os Três Mosqueteiros)
  • Música do ano: Barbada. Rope, do Foo Fighters
  • Categoria ‘Agora é tarde, Gaburah‘ do ano: shows do Velvet Revolver
  • Show do ano: Alice in Chains, no SWU. Pela energia mesmo debaixo do dilúvio e por corresponder à longa expectativa.
  • Piada de mau gosto do ano: Botafogo de Futebol e Regatas, sagrando-se BICAMPEÃO no quesito =/
  • Grande Expectativa para 2012: Os Mercenários 2, longe. Colocando até pesos-pesados como Os Vingadores e O Hobbit no bolso (e alguém acha que Bilbo ou o Capitão América são páreo para Stallone+Willis+Schwarza+CHUCK NORRIS+Van Damme??)

E como premiação que se preze tem que ter número musical, então lá vai a vencedora do ano de 2011:

12 thoughts on “Gaburah Best of 2011

  1. 1) O Victor Best of 2011 não respeita a data de lançamento e sim a de consumo.
    2) Não necessariamente cito o que vi de melhor, mas talvez o que mais me surpreendeu positivamente e negativamente, o que muito tem a ver com a expectativa (ou falta de). Claro que isso não impede do melhor ou do pior serem citados.
    Sem mais lero-lero, vamos lá:

    Filme do ano: Se Beber Não Case 2. Sim, acreditem! Esse aqui entra naquela de quebrar com a falta de expectativa. Eu não vibrei com o primeiro filme que tanto barulho fez. Vi, ri mas não recomendei a ninguém. Só vi o 2 porque Ana Paula acabou querendo ver e eu queria dormir. Dormi, claro, mas Ana Paula recomendou fortemente que vissemos no dia seguinte (ela dormiu um pouco depois). Porra. Muito legal o filme. Dessa vez já com os personagens ambientados em nossa mente e com uma certa agonia. Claro que esse é um filme para ser visto por quem conhece ROBERTO. O cara É o Roberto e não tenho dúvidas quanto a isso. Filme do ano.

    Fiasco do ano: Cowboys e Aliens (ou uma porra dessas). Ana Paula novamente certa não quis ver (pois ela achava que era mais um daqueles de Alien, o 8º passageiro). Mermão… filme é todo merda. Escuro que nem dá para ver (nem fechei cortina. Foda-se) direito os personagens em cena. Tirando os aliens, o filme já é uma bomba. Passam as cenas sem o entendimento dos diálogos ou porque diabos acontecem as ações, prisões e brigas. Os aliens nem são o pior do filme, já que fica uma ideia razoavelmente interessante um western que por acaso tem aliens (ora… porque diabos aliens não podem aparecer em qualquer época e em qualquer lugar?). Mas o filme de resto é tão escroto que não cheguei até o fim e provavelmente nunca saberei como acabou porque duvido que alguém tenha visto para me contar.

    Música do ano: Build – The Housemartins. Já conhecia, mas por conta do Pânico fiquei enchendo o saco de Ana Paula colocando o tempo todo.

    Show do ano:: Ian Anderson.

    Piada de mau gosto do ano: Acústica e platéia escrotas no show de Eric Clapton.

    Grande Expectativa para 2012: Queen + Lady Gaga

    • Rapaz, eu achei Se beber não case 2 uma bomba, mas confesso que encarando o filme como uma gigantesca biografia do Roberto ele vira um clássico INSTANTÂNEO!!

      Eu curti Cowboys and Aliens, palavra. Enquanto girou como um western de suspense (no início) tava um filmaço. Aí vieram Harrison Ford e os aliens e o filme desmoronou até uns 10 minutos pro fim, quando voltou ao western. Uma pena realmente. Jon Favreau precisa de umas boas férias, porque já o Homem de Ferro 2 não me empolgou muito…

      Queen+Lady Gaga, #euacredito

  2. “O Victor Best of 2011 não respeita a data de lançamento e sim a de consumo”
    Porra! Pensei exatamente isso enquanto lia o post. Não vou procurar se na minha lista o lançamento do fato foi em 2011.

    Show do Ano: Paul McCartney no Engenhão.
    Esse foi no 1º semestre de 2011. Logo após o show do final de 2010 no Morumbi. Igualmente fodástico.

    Música do Ano: “Hello Goodbye”, executada no show de 2011 citado.

    DVD do ano alugado na locadora: Código de Conduta.
    Depois de trilhares de comédias românticas alugadas compulsoriamente, esse antigo filme, que só vi agora a pouco, pareceu uma Erdinger no meio de um monte de “Novas-Schins”.

    Filme no cinema do ano: Bruna Surfistinha.
    Foi o primeiro que me veio na cabeça, pois lembro que Tropa 2 foi no final do ano passado. Grande interpretação da Sra. Secco. Se lembrar de outro filme que tenha visto no cinema em 2011 volto aqui para me retratar.

    Filme fiasco do ano: Rio.
    Todo mundo falou muito. Gerou uma expectativa. Eu já tenho certo preconceito com desenhos e/ou animações. Achei muito fraco o novo “Zé Carioca”.

    Frase do Ano: Flamengo é Flamengo.
    Pagodinho Gaúcho, ex-jogador, homenageado pela Academia Brasileira de Letras.

    Musa do ano: São Paulo. Ou Internacional.
    http://esporte.uol.com.br/gatas-do-brasileiro/album/ensaios/gatasdobrasileiro_retrospectiva2011_album.htm#fotoNav=5

    Grande Expectativa para 2012: Concursos.
    http://barecon.wordpress.com/2010/10/05/mega-milhoe/

  3. Matheus Best of 2011 segue a lógica, com algumas modificações:

    Filme do ano: Talvez não seja o melhor, mas foi o que mais me divertiu. Um Parto de Viagem. Segue a linha de Se Beber Não Case, mas Downey Jr. é o diferencial. Outro filme que gostei muito foi O Palhaço do Sento Mello.

    Fiasco do Ano no Cinema: Acompanho o voto do nobre relator. Não consegui chegar ao fim do Besouro Verde. E ainda aumento a lista. Lanterna Verde me deixou bastante frustrado.

    Álbum do Ano: Barbada. Wasting Light do Foo Fighters

    Música do Ano:Arlandria do Foo Fighters

    Prêmio ‘Paul McCarteney’ de melhor show do ano: Briga pesadíssima. Sir Paul é hour-concours. Apesar de um probleminha ou outro com os tios que não me deixavam ir ao banheiro, não como superar o eterno Beatle. Mas Metallica leva o prêmio, seguido de perto por Motörhead e Eric Clapton, apesar deste último ser um show totalmente diferente.

    Piada do Ano: Cruzeiro, o Barcelona das Américas.

    Expectativa para 2012: Filmes já citados e o show do Foo Fighters.

      • Going Out Style do Dropkick Murphys, Suck it and See do Arctic Monkeys, Velociraptor! do Kasabian e The Hunter do Mastodon também foram bons lançamentos de 2011.

Comments are closed.