Thor e Mjölnir, salvem um pseudo-nerd!

Esse texto contém SPOILERS. É ideal que seja lido depois do filme ser assistido, mas vai de cada um. Ainda assim, quando ouver uma marcação deste tipo, significa que é algo que pode desagradar algum desavisado.

Ah, as benesses de morar em uma capital. A maior parte das coisas chega antes do resto do país e isso é muito bom. Quando descobri que Thor estreiaria no Brasil no dia 29 de abril de 2011, fiquei todo serelepe. Ora, BH com certeza estaria entre as cidades de estreia e eu me dei bem. Quando meu irmão me disse que aqui estaria no mesmo fim de semana, pensei: AGORA SIM, consegui um companheiro e é só comprar o ingresso!

Minha animação tinha razão de ser. Desde Iron Man, quando ficou claro que a Iniciativa Vingadores iria virar filme, a espera pelos filmes dos outros integrantes já ficou enorme. Vieram Hulk e Iron Man 2 que mantiveram a ótima qualidade dessa que é, talvez, a investida mais ambiciosa da história do cinema em um campo específico de público (ainda que esse campo tenha aumentado vertiginosamente em função dessa estratégia). Capitão América, por tudo que representa, também gerou uma grande comoção e com Thor não foi diferente.

Thor

Thor

Mas eu confesso: não sou um nerd quando o assunto é HQ. Ou não era. Com raríssimas exceções (Hellboy, Sandman e Sin City), eu só consegui começar a acompanhar as  histórias DEPOIS dos filmes. O que pode ser bom, porque te dá uma certa ideia de onde começar, mas, por outro lado, é ruim porque se perde muita coisa que só é recuperada revistas e revistas mais tarde, como o problema de Tony Stark com o álcool.

Enfim, cheguei pro filme animado. Entrei na sala e já avisei Gaburah o que ia assistir, que era pra deixar o cara na vontade. Thor é um dos personagens mais poderosos e fantásticos (do ponto de vista mitológico mesmo) da Marvel e eu realmente estava muito animado pra conhecer mais sobre a sua história. E, como se não bastasse tudo que o filme prometia, comprei a sessão 3D.

Vi o filme, saí do cinema impressionado e,  sabendo que poderia tirar onda com um nerd que me ensinou muito sobre HQ’s (o dono deste espaço), pensei: agora é só esperar o post do Gaburah pra discutir a porra toda. O problema é que o pedido se inverteu. Quando ele me pediu pra escrever o post eu borrei as calças.

Mas, pra fazer jus ao pedido, vai o que achei. Thor é um filmásso! Talvez não tão perfeito quanto Iron Man e Batman: Dark Knight (pra ficar na linha dos super-heróis), mas é um grande filme. Primeiramente pelo aspecto técnico que beira a perfeição. As imagens de Asgard, principalmente, são de emocionar, bem como todas as batalhas travadas no filme.

No aspecto histórico, e aqui vai a opinião de quem NÃO leu a HQ, Thor também não peca. O filme mostra bem como nasceu o Deus do Trovão, assim como ilustra de forma bastante fácil os motivos da briga entre Thor e Loki (o que sempre tinha me deixado em dúvida). Apesar de se passar num Universo fantástico, o roteiro é bastante coerente e, fora o fato de Thor ter que ser o vigilante divino na Terra por causa de uma mulher (ainda que seja a Natalie Portman), todo o resto faz bastante sentido, inclusive o modo como ele interage com a S.H.I.E.L.D..

Sem falar em atuações soberbas de Anthony Hopkins, como Odin (que surpresa!) e Tom Hiddleston, na pele de Loki, que logo de cara demonstra encarnar à perfeição o seu personagem. Natalie Portman é Natalie PortmanChris Hemsworth, nosso herói, também se encaixa bem no seu papel, apesar de não ter a mesma identificação que os dois supracitados. E o resto do time de atores manda muito bem.

Pra não falar que foi perfeito, achei, como muitos acharam, excessivas as cenas entre o casal Thor e Jane. E podia haver mais algumas batalhas, mas, nesse caso, apenas pra satisfazer minha sede de sangue.

No frigir dos ovos, Thor manteve a média alta dos filmes que dão início aos Vingadores e valeu muito a pena como programa de fim de semana. Quanto mais aprendo sobre os heróis da Marvel, mais quero adentrar nos Universos fantásticos que o pessoal de lá criou. A Iniciativa merece todos os aplausos até aqui. E o Mjölnir me fez ter mais certeza de que, em se tratando de HQ’s, ser nerd é muito maneiro.

E que venha o Capitão América!

34 thoughts on “Thor e Mjölnir, salvem um pseudo-nerd!

  1. SPOILER MONSTRUOSO!!!

    SEN-SA-CIO-NAL aparição do Gavião Arqueiro e de (eu acredito!) Luke Cage!

    É uma pena que, até onde eu saiba, não exista um projeto de filme só deles.

    Além da aparição, ainda que muito rápida, de Stan Lee.

    E a cena pós-créditos também dá bastante medo.

    • SPOILER

      Pensei imediatamente no Luke Cage naquela cena. Apesar de dar uma entortada na cronologia (e na história), faria todo o sentido já que o Negão de Aço até bem pouco tempo era nada mais nada menos que o líder dos Vingadores (na ausência do Capitão).

      Do Gavião (Vingador mais foda de todos) eu já sabia. Só lamentei não estar com o uniforme (mas também não faria o menor sentido).

      Luke Cage já tem projeto de filme em andamento sim, já faz alguns anos. Já passou pela mão de John Singleton (graças a Deus não foi à frente) e hoje já estão com ele meio pela bola da vez, junto ao Punho de Ferro (outro que vai me fazer mover montanhas), Doutor Estranho e Pantera Negra – todos esses de propriedade do Marvel Studios.

      Pipocando em outras companhias, sempre com qualidade duvidosa, circulam Namor, Motoqueiro Fantasma, Quarteto Fantástico, os X-Men (e qualquer mutante que a Marvel tenha inventado) e o Aranha.

      Justiceiro e Demolidor (esse não tenho certeza) já voltaram para as mãos da Marvel.

      • Civil War!

        #euacredito

        Eu achei que fosse o Luke Cage só porque a câmera dá um close mais demorado nele e o Thor comenta.

        ****

        Motoqueiro Fantasma é um filme que podia ter sido melhor trabalhado.

        • Civil War?

          Não, acho que não. Falta muito coisa pra isso ainda. O clima atual das coisas ainda não permite qualquer referência que seja.

          ******

          Quanto ao Motoqueiro Fantasma, o motivo do qual o filme ter sido aquilo atende por um nome e sobrenome: Nicolas Cage.

        • Civil War não rola tão cedo (se é que rola um dia).

          A trama é complicada demais, o universo Marvel no cinema ainda está na fase de infra-estruturas e os direitos de diversos personagens com papéis fundamentais no arco (Quarteto Fantástico, Homem-Aranha, X-Men e Demolidor – acho) estão nas mãos de outros estúdios – que não vão largar o osso tão cedo.

    • SPOILER DO CARALHO

      Sobre a cena pós-créditos, depois a gente conversa. Mas guarde bem essa carinha feliz:

  2. Rapaz, como é bom ser surpreendido favoravelmente pela qualidade de um filme que tinha tudo pra dar errado…

    Primeiro, porque o Thor não é lá um dos heróis mais populares (no sentido de procurados) da Marvel; segundo porque seria muito fácil fazer uma besteira de proporções épicas simplesmente pelo fato de meterem magia no meio de um universo assumidamente construído em cima de personagens a que se propôs serem trazidos para um mundo crível; e terceiro porque a fórmula dos filmes de super-heróis já está mais do que consolidada, havendo sempre o risco de tornar as novidades em meros mais-do-mesmo.

    E Thor derrubou meus temores um a um, com a mesma habilidade do golpe avassalador em que gira o martelo (efeitos especiais irretocáveis nessa porra). As cenas de batalhas são SENSACIONAIS, o que me faz engrossar o coro do Matheus lamentando por serem tão breves. Tem muita gente curtindo a luta entre Thor e Destruidor, mas a minha cena do filme é mesmo a batalha (movida pelo ego) do loirão e seus companheiros (todos excelentes, especialmente o Volstagg de Ray Stevenson – ator que vem subindo de qualidade a cada filme) contra os Gigantes de Gelo. Que batalha, bicho! Que troço empolgante! Em 3D deve ter sido covardia (só consegui ver em 2D, o que já foi uma baita conquista).

    E a colcha de retalhos que a Marvel vem entrelaçando desde o primeiro Homem de Ferro toma finalmente os maiores contornos em Thor. Matheus tem toda a razão quando destaca que esta é a investida mais ambiciosa da história do cinema em um campo específico de público (ainda que esse campo tenha aumentado vertiginosamente em função dessa estratégia). De fato, a Saga dos Vingadores no cinema já é o grande evento cinematográfico da década, representando para os anos 10’s o que a saga d’O Senhor dos Anéis representou para a década passada. Pensemos que é um filme com cerca de CINCO prelúdios (a saber, os dois Homem de Ferro, O Incrível Hulk, Thor e Capitão América – todos amarrados e se dando ao luxo de utilizar cenas comuns e inserir novos personagens que também estarão presentes na trama de Os Vingadores, como a Viúva Negra e o Gavião Arqueiro). No final, tudo vai se constituir em uma saga de SEIS capítulos INICIAIS, pois as possibilidades de desdobramento são, cada vez mais, infinitas (se é que isso é fisicamente possível, rsrs).

    A única coisa mal resumida no filme é como Thor veste a camisa da Terra mesmo. Geral criticando o cara se apaixonar pela Natalie Portman em apenas uma noite. Geral também esquecendo que para a maioria não precisaria mais do que cinco minutos…

    Mas enfim, o cara é um Deus. Pode se dar a esse luxo.

    *****

    A cena pós-créditos demanda um conhecimento maior para seu pleno entendimento. Não sei se vale a pena esplanar por aqui agora pois tem muita gente que ainda não viu o filme.

    Mas me alegro de saber que consegui capturar todos os easter eggs veiculados até o momento. Só bobeei em um, que pode ter passado batido até para os mais atentos. Mais pra frente também solto no ar.

    • 5 não, Gaburéx. Pelo menos, 6.

      Vem Thor 2 por aí.

      Também acho a cena da pancadaria com os Gigantes de Gelo bem mais doida, apesar que a cena do furacão é foda! Mas perde pra cena que ele destroi o chão do planeta de gelo com uma martelada.

      Tô começando a baixar as hq’s dele. São muito doidas. Comecei com Journey Into Mistery e tô vendo aonde consigo chegar.

      Agora, os segredinhos eu nunca pego.

      • Pois é, mas Thor 2 vem depois d’Os Vingadores. Já entra no terreno dos desdobramentos, sacou?

        Rapaz, só fiquei fã do Thor mesmo depois de Os Supremos. Até no visual, ali o bicho fanfarroneou bem demais. Parecia que ajudava só de sacanagem.

        • Todos os Vingadores ficaram melhor com a releitura de “Os Supremos” (ou “The Ultimates”).

          Tanto que alguns diálogos feitos em “Os Supremos” são muito mais condizentes com alguns personagens do que a grande maioria dos diálogos de “Os Vingadores”.

          • Sou suspeito. Os Supremos (a primeira série) é uma das melhores séries de quadrinhos que já li.

            Mas Os Vingadores da época de John Romita (o Fera tava na equipe) eram fodas demais.

            • Sim. Mas, se compararmos, os personagens na época do Romita (que foi uma das melhores fases dos Vingadores, assim como a época em que estavam sob as mãos do John Byrne) não tem o mesmo brilho dos personagens em “Os Supremos.

              Traçando um paralelo, é como se os Vingadores fossem a Rachel Weisz. E os Supremos, a Angelina Jolie. Sacou? rs…

              • Ainda bem que você não comparou a Angelina Jolie com a Scarlett Johanson.

              • Pra mim não funciona.

                Sou MUITO mais a Rachel Weisz, hahahahahahahahahaha.

                Os Supremos X Vingadores de Romita é dilema Bono Scott X Brian Johnson, Lee Roth X Hagar… Decidir quem é melhor funde a cuca.

  3. E só pra dar uma raivinha até julho vai o trailer do Capitão América (com um relance do Vermelhão):

  4. Aliás, qual é a melhor?

    Scarlett Johasson como Viúva Negra ou Natalie Portman como Jane Foster?

    • Rapaz, este é o comparativo do qual eu acho muito injusto.

      Afinal de contas, são tipos diferentes de personagens. A Viuva Negra, por ser uma heroina (que antes de tudo já foi vilã) tem mais “profundidade” que a Jane Foster (que foi criada como uma forma de ajudar o Thor aprender a se encantar com a humanidade). Assim como a Sharon Carter foi para o Capitão América (numa escala diferente, é claro).

  5. Alguns comentários:

    “…Quando ele me pediu pra escrever o post eu borrei as calças.”
    – típico de cruzeirense! hehehe

    “…Pipocando em outras companhias, sempre com qualidade duvidosa, circulam Namor,…”
    – quero ver qual será a manobra para jogarem o CA nos dias de hoje, já que, quem encontra o corpo dele congelado é o Namor!

    “Geral criticando o cara se apaixonar pela Natalie Portman em apenas uma noite. Geral também esquecendo que para a maioria não precisaria mais do que cinco minutos…”
    – eu me apaixono pela Portman A CADA 5 minutos! Peace of cake! hehehehehe

    “SEN-SA-CIO-NAL aparição do Gavião Arqueiro e de (eu acredito!) Luke Cage!”
    – onde estão os meus royalties? hehehe

    Assim que assistir, posto meu review no Pasta Suspensa e fazemos um ‘crossover’ tupiniquim com o Gaburah.com sobre o Universo Marvel! hehehehehe

    p.s.: Xerox, gostou do projeto do Museu das HQ´s na China? Achei muito maneiro!

    • Foda demais. Pena que esses empreendimentos culturais relevantes sempre ficam longe demais. Nesse caso, do outro lado do mundo.

      Putaqueopariu.

    • Tá no forno, Mari!
      Post a 6, 8 ou 10 mãos. Esforço editorial total!
      Mas vai valer a pena. Opiniões distintas, cada um com seu olhar especial.
      Deve sair hoje (sexta) ou amanhã no máximo ; )

Comments are closed.